Notícias

11/04/2018

DetranPR participa de projeto de Documento Nacional de Identificação

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) foi escolhido para participar do projeto piloto de implantação do Documento Nacional de Identificação. O DNI será um aplicativo digital que vai reunir todos os dados e comprovantes de identidade do cidadão, como título de eleitor, CPF, RG, certidão de nascimento e carteira de habilitação.

A partir de julho, todos os cidadãos brasileiros deverão ter acesso ao serviço, mas o Paraná foi escolhido para os testes por ser considerado um Estado com ambiente favorável ao desenvolvimento tecnológico. Além do Detran, participam do projeto o Instituto de Identificação do Paraná, Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), Controladoria Geral do Estado (CGE) e o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE).

O documento foi criado pelo Governo Federal, com coordenação do Ministério do Planejamento e Tribunal Superior Eleitoral.

SERVIDORES: Neste primeiro momento, apenas os servidores do Detran em Curitiba poderão fazer o DNI. Por isso, a diretoria de Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Profissional vai entrar em contato por email para informar as datas e os setores que devem comparecer até a área de atendimento da 1ª Ciretran, a partir das 15h30.

A adesão não tem custos e não é obrigatória. Para emitir o documento, o servidor precisa possuir celular com os sistemas Android ou iOS, baixar o aplicativo disponível no endereço www.dni.pr.gov.br e preencher o pré-cadastro. Os procedimentos seguintes serão transmitidos pela equipe responsável, no momento do cadastro.

“A escolha do Detran para participar deste início do projeto mostra que o nosso trabalho tem gerado resultados positivos e que somos referência no uso de novas tecnologias”, destacou o diretor de Tecnologia e Desenvolvimento do Detran, Marco Aurélio de Araújo Barbosa.

DNI - Criado pela Lei Federal nº 13.444/17, o Documento Nacional de Identificação utilizará a base de dados do cadastro eleitoral, criada a partir da emissão do título de eleitor. Por isso o novo App só poderá ser utilizado por quem já fez a revisão biométrica e tem suas impressões digitais de acordo com o cadastrado na Justiça Eleitoral.


Fonte: Assessoria de Comunicação

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.