Série especial: entenda como funciona o exame de aptidão física e mental no trânsito
18/06/2015 - 11:10

Para conquistar o direito de dirigir, o candidato a primeira habilitação precisa passar por uma série de procedimentos: avaliação psicológica, exame de aptidão física e mental, exames teórico e prático de direção. Na segunda matéria da série especial, o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) esclarece como funciona o exame de aptidão física e mental no trânsito.

“O exame de aptidão física e mental está presente em vários momentos da vida do condutor, seja na primeira habilitação, alteração de categoria ou até mesmo na renovação da Carteira Nacional de Habilitação. Essa exigência ocorre periodicamente justamente para levar o motorista a questionar e se preocupar com suas condições de saúde que trazem efeitos irreversíveis no trânsito”, explica o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

AGENDAMENTO – A avaliação pode ser agendada em qualquer unidade do Detran, no mesmo momento da marcação da avaliação psicológica, pois ambas ocorrem na mesma clínica. A taxa do exame de aptidão física e mental é R$ 52,00 e pode ser paga em um dos bancos credenciados ao Departamento – Banco do Brasil, Sincredi, Bancoob ou Banco Rendimento.

O exame de aptidão física e mental avalia se o candidato tem condições de saúde para conduzir um veículo. Nesta avaliação são analisadas a capacidade visual, força muscular, coordenação motora, pressão arterial e outros pontos que o perito julgar necessários. Após esta avaliação o candidato pode ser considerado apto, apto com restrição (por exemplo, obrigatório o uso de lentes), inapto temporário ou inapto (caso tenha alguma patologia que contraindique definitivamente a dirigir).

“Se o futuro condutor estiver em tratamento por alguma doença que possa interferir na condução de um veículo, como, por exemplo, doenças do coração, doenças neurológicas, epilepsia ou uso de medicamentos controlados, o perito poderá lançar o resultado "inapto temporário" e solicitar um parecer atualizado do médico especialista do candidato para concluir a avaliação”, esclarece o especialista em Medicina do Trafego, Dirceu Antônio Silveira Junior.

Ele acrescenta que se no final do exame o candidato for considerado apto com restrição, significa que ela poderá dirigir, desde que faça as adaptações necessárias.

Com o número do processo e do CPF, o usuário pode obter o resultado da avaliação no site do Detran, na categoria “Motorista”, “1ª habilitação” e “Veja o resultado de seus exames”.

EXAME ESPECIAL –
Pessoas com deficiência física moderada ou grave podem ser encaminhadas pelo perito, após a avaliação de aptidão física e mental, para um exame complementar. O exame médico especial é realizado por dois médicos especialistas em tráfego que poderão verificar se o condutor pode dirigir um veículo convencional ou se é obrigatória adaptação do veículo – acelerador à esquerda, adaptação de comandos de painel de volantes, entre outros.
Atualmente, o exame especial é oferecido em três municípios: Curitiba (em três locais), Cascavel e Colorado.

Se for considerado apto na avaliação psicológica e no exame de aptidão física e mental de direção, o futuro motorista fará as aulas no Centro de Formação de Condutor e, na sequência, o exame teórico de direção.


GALERIA DE IMAGENS